Preparação Física e Ensaios Granulométricos de amostras minerais
27/11/2019 0

A caracterização de materiais na indústria mineral depende de etapas e processos importantes como: amostragem, preparação física e ensaios granulométricos.

A qualidade dos resultados de uma análise química depende de muitos fatores e operações unitárias realizadas antes da análise.

A preparação física de amostras geoquímicas envolve uma série de operações unitárias, sendo as mais comuns: Secagem, Britagem, Pulverização e Quarteamentos.

  1. A Secagem é o início do processo e visa remover umidade, que pode levar a resultados tendenciosos, e também promover a desagregação do material sólido;
  2. A Britagem tem como objetivo a fragmentação de grandes materiais levando-os à granulometrias menores compatíveis para posterior processamento;
  3. A Pulverização tem o objetivo de trituração do material transformando-o em um pó fino. Nesta etapa é definida a granulometria final a ser atingida, requisito da análise química.
  4. Os quarteamentos visam a divisão representativa da amostra para obtenção de alíquotas menores que sejam representativas da amostra original. Existem diversos métodos com diferentes níveis de performance, portanto, faz-se necessária a avaliação técnica do melhor método de quarteamento para o material preparado.

Há uma larga diversidade de equipamentos e métodos de preparação física e à escolha dos equipamentos, a montagem do melhor fluxo de preparação e do laboratório para realizar a atividade são de suma importância para obtenção de amostras representativas que possam ser analisadas quimicamente obtendo-se resultados confiáveis acerca dos quais decisões muito importantes são tomadas.

Adicionalmente à preparação física, são realizados também ensaios de granulometria, os quais servem para determinar a distribuição granulométrica dos materiais. A sua importância está no fato de que o tamanho dos grãos interfere nas propriedades físico-químicas e consequentemente no valor dos materiais. Os resultados obtidos nestes testes correspondem ao percentual em peso que cada faixa especificada de tamanho de grãos representa na massa seca total utilizada para o ensaio.

O ensaio de granulometria pode ser executado de várias maneiras distintas, escolhidas de acordo com o tipo de material e as finalidades do ensaio para cada caso particular. Alguns exemplos mais comuns são: análise granulométrica à seco e análise granulométrica a úmido.

A obtenção de resultados confiáveis em ensaios granulométricos depende da escolha correta da metodologia e dos controles utilizados durante o processo, tais como tempo de peneiramento, utilização de peneiras confiáveis, controle de balanças, entre outros.

O avanço da tecnologia traz ao mercado novas alternativas para este ensaio como aqueles executados em granulômetros a laser, mas a escolha do melhor método para o material deve ser feita por profissionais capacitados e utilizando metodologias normalizadas.

O ITAK possui uma ótima estrutura preparação física e para ensaios granulométricos de diversas amostras minerais, além de contar com uma equipe capacitada e continuamente treinada nas melhores práticas do mercado. Consulte-nos!

Clique aqui para entrar em contato
tecnologia@itak.com.br 
Telefone: +55 31 3851-3166 
WhatsApp: +55 31 99955-1502

Conheça o ITAK e encontre as soluções para seus desafios!